Estudo comparativo da capacidade antioxidante do hidrolisado enzimático das proteínas do Inhame da Costa (Dioscorea cayennensis) e Cará-Moela (Dioscorea bulbifera)

Publicado 2024-06-18

  • Raquel Bezerra da Silva
  • ,
  • Maria Eugênia Gouveia de Freitas
  • ,
  • Carlos Alberto de Almeida Gadelha


PDF

Palavras-chave: Tubérculos, Atividade Antioxidante, Proteínas, Dioscorea

Resumo

Os tubérculos do gênero Dioscorea tem relevante importância socioeconômica para a região Nordeste do Brasil, o inhame da costa (Dioscorea cayennensis) é uma hortaliça que apresenta ótimos valores nutricionais e energéticos, importante na dieta da população, já o cará-moela (Dioscorea bulbifera) é uma espécie de limitada comercialização e de pouco conhecimento pelos brasileiros, com familiarização entre curandeiros e donas de casa, que o usam para fins medicinais. Há várias pesquisas envolvendo o gênero que evidenciam os interesses em explorar seus potenciais, por isso, o objetivo deste trabalho é comparar a atividade antioxidantes os hidrolisados obtidos por ação da enzima pepsina, das proteínas biologicamente ativas presentes em tubérculos de D. cayannensis e D. bulbifera e caracterizar o perfil de seus peptídeos bioativos. Assim, fez-se necessário produzir uma farinha fina que foi submetida a extração das proteínas em tampão glicina 0,1 mol/L e em água ultra pura, ambos em pH 9. Determinado o teor de proteínas solúveis pelo método de Bradford (1976) que demonstrou que as proteínas de D. bulbifera se solubiliza melhor em solução tampão de Gly e D. cayannensis em H2O. Os concentrados proteícos foram submetidos à hidrólise com pepsina, e os peptídeos formados foram confirmados em eletroforese de poliacrilamida (Tris-Tricina). A atividade antioxidante foi realizada com o radical de ABTS+ e os resultados constataram que houve relevância do grau de hidrólise das proteínas pela enzima pepsina em relação aos concentrados proteicos, em algumas amostras, e o inhame teve maior capacidade de sequestro do radical se comparado ao cará-moela. Pesquisas como essas agregam valores e contribui para valorização e expansão do conhecimento destas espécies de tubérculos cultivadas e consumidas na região.


Referências

  1. ADEPOJU, O. T.; BOYEJO, O.; ADENIJI, P. O. Effects of processing methods on nutrient and antinutrient composition of yellow yam (Dioscorea cayenensis) products. Food Chemistry. v. 238, p. 160-165, 2018. https://doi.org/10.1016/j.foodchem.2016.10.071
  2. BRADFORD, M. M. Rapid and sensitive method for quantitation of microgram quantities of protein utilizing priciple of protein-dye binding. Analytical Biochemistry. v. 72, n. 1-2, p. 248-254, 1976.
  3. CHANIAD, P. et al. Anti-inflammatory, wound healing and antioxidant potential of compounds from Dioscorea bulbifera L. bulbils. PloS one, v. 15, n. 12, p. e0243632, 2020. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0243632
  4. COSTA, M. et al. Fenólicos totais, Flavonoides totais e atividade antioxidante de extratos de Croton argyrophyllus Kunth (euphobiaceae). Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer – Goiânia, v.14, n. 25, p.687, 2017.
  5. GAOFENG, S. et al. Antioxidant activity of diosgenin from Dioscorea composite. Oxidation Communicattions. v. 39, n. 1-I, p. 91-98, 2016.
  6. GAO, H. et al. Antitumor-Promoting Constituents from Dioscorea bulbifera L. in JB6 Mouse Epidermal Cells. Biological and Pharmaceutical Bulletin. v. 25, n. 9, p. 1241-1243, 2002. 10.1248/bpb.25.1241
  7. GHOSH, S. et al. Antidiabetic activity of Gnidia glauca and Dioscorea bulbifera:Potent amylase and glucosidase inhibitors. Evidence-based Complementary and Alternative Medicine. 2012a.
  8. GHOSH, S. et al. Synthesis of silver nanoparticles using Dioscorea bulbifera tuber extract and evaluation of its synergistic potential in combination with antimicrobial agents. International Journal of Nanomedicine. v. 7, p. 483–496, 2012b.
  9. GHOSH, S. et al. Phytochemical Analysis and Free Radical Scavenging Activity of Medicinal Plants Gnidia glauca and Dioscorea bulbifera. PLOS ONE. v. 8, 2013.
  10. GHOSH, S. et al. Novel platinum–palladium bimetallic nanoparticles synthesized by Dioscorea bulbifera: anticancer and antioxidant activities. International Journal of Nanomedicine. v.10, p. 7477-7490, 2015.
  11. HIDAYAT, A. F. A. et al., Dioscorea bulbifera induced apoptosis through inhibition of ERK 1/2 and activation of JNK signaling pathways in HCT116 human colorectal carcinoma cells. Biomedicine & Pharmacothearapy. v. 104, p. 806-816, 2018.
  12. KUETE, V. et al. Antibacterial activities of the extracts, fractions and compounds from Dioscorea bulbifera. Complementary and Alternative Medicine. v. 12, p. 1-8, 2012.
  13. KUSKOSKI, E. M. et al. Aplicatíon de diversos métodos químicos para determinar actividad antioxidante en pulpa de frutos. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v.25, n.4, p.726-732, 2005.
  14. LAEMMLI, U. K., Cleavage of structural proteins during the assembly of the head of bacteriophage T4. Nature. v. 227, n. 5259, p. 680-685. 1970.
  15. LIM, T. K., Dioscorea Bulbifera. In: LIM, T. K., Edible Medicinal and Non – Medicinal Plants. Springer Science + Business Media. v. 10, p. 235-252, 2016.
  16. MONTERO, M. J.; MARTÍNEZ, A. A. Estudo etnobotânico da batata-do-ar (Dioscorea bulbifera L.) em Donoso (Colón, República do Panamá). Revista Luna Azul, n. 42, p. 54-67. Jan/Jun 2016.
  17. OLIVEIRA, A. P. et al. Tecnologia alternativa para produção de túberas-semente de inhame e seus reflexos na produtividade. Horticultura Brasileira. v. 30, n. 3, p. 553-556, 2012.
  18. PAULA, C. D. et al. Características fisicoquímicas e morfológicas de rizóforos de inhame (Dioscorea alata). Biotecnología em el Sector Agropecuario y Agroindustrial, v. 10, n. 2, p. 61-70, 2012.
  19. REIS, R. C. et al. Compostos bioativos e atividade antioxidante de variedades melhoradas de mamão. Ciência Rural. v. 45, n. 11, p. 2076-2081, 2015.
  20. SANTOS, E. S. et al. Inhame (Dioscorea sp.) Tecnologias de produção e preservação ambiental. Tecnol. & Ciên. Agropec., João Pessoa, v. 1, n. 1, p. 31-36, 2007.
  21. SIQUEIRA, M. V. B. M.; VEASEY, E. A., Raíces y tubérculos tropicales olvidados o subutilizados en Brasil. Revista Colombiana de Ciências Hortícolas. v. 3, n. 1, p. 110-125, 2009.
  22. SOUSA, A. P. et al. Obtenção da fração proteica dioscorina de inhame (Dioscorea cayennensis): caracterização bioquímica. Rev. Bras. Pl. Med, v. 19, n. 4, p. 610-618, 2017.
  23. TAVARES, S. et al. Caracterização físico-química da mucilagem de inhame liofilizada. Ciência agrotec. Lavras, v. 35, n. 5, p. 973-979, 2011.

Como Citar

Silva, R. B. da, Freitas, M. E. G. de, & Gadelha, C. A. de A. (2024). Estudo comparativo da capacidade antioxidante do hidrolisado enzimático das proteínas do Inhame da Costa (Dioscorea cayennensis) e Cará-Moela (Dioscorea bulbifera). Brazilian Journal of Biological Sciences, 11(24), e33. https://doi.org/10.21472/bjbs.v11n24-004

Baixar Citação

Palavras-chave

Edição Atual