Ocorrência, dominância, frequência e densidade de plantas infestantes na implantação de sistemas integrados de produção agroflorestal

Publicado 2022-01-10

  • Gabriel Gugel Marques
  • ,
  • Pablo Georgio de Souza
  • ,
  • Nayara Guetten Ribaski


PDF

Palavras-chave: Plantas Infestantes, Agricultura, Agrofloresta, Drones

Resumo

Introdução: O estudo sobre a ocorrência, dominância e frequência de Plantas Infestantes (PI) é fundamental quando a alta produção é buscada, uma vez em que as PI podem diminuir a produção agrícola significativamente quando não monitorada/controlada. Objetivos: Avaliar a ocorrência, dominância frequência e a densidade de plantas infestantes na implantação de sistemas integrados de produção agroflorestal e comparar com as avaliações realizadas com o uso de drones. Materiais e Método: A avaliação in loco para identificação seja ela por meio de fotos (as quais importadas no aplicativo para identificação), ou usando-as para fazer a identificação pelo manual de identificação de plantas daninhas, ocorreram mensalmente em todas as 16 parcelas do experimento em ambos cultivos (florestal/agrícola), essa avaliação ocorreu de forma aleatória em cada parcela de cultivo, sendo que, para cada parcela foram coletadas 12 unidades amostrais de 1 m². Como auxílio para captação de imagens das plantas daninhas (PD), foi utilizado o drone Phanton 4, e após essa etapa essas imagens foram importadas e processadas com uso de software QGis, a partir desse mensurado a dominância das PD em função da área ocupada e estas por sua vez comparadas com a avaliação realizada em campo pelo levantamento fitossociológico, sendo os resultados submetidos a uma análise de normalidade pelo teste f. Resultados: Verificou-se que a avaliação trimestral por meio de vistas in loco com o uso do manual de identificação contribuiu para maior agilidade na coleta dos dados, no entanto, não sendo prática e rápida comparando com a identificação realizada com auxílio do aplicativo ou drone. A utilização do Drone para a identificação de plantas infestantes, apresentou pouca eficiência, uma vez em que com o mesmo não foi possível a identificação das plantas em determinados estádios de desenvolvimento, demonstrando-se impreciso. Assim utilização do Drone é uma excelente opção para a vistoria total da área na busca de reboleiras de falhas e/ou doenças. Considerações Finais: A identificação pelo caminhamento na área e a instalação de parcelas de 1 metros quadrado, ainda é o método recomendado, evidenciando a necessidade de aprimoramento na metodologia de utilização das demais tecnologias visando sua futura aplicabilidade.


Referências

  1. DURIGAN, et al.. Períodos de matocompetição na cultura da soja (Glycine max (L.) Merril), cultivares Santa Rosa e IAC-2. I- Efeitos sobre os parâmetros de produção. São Paulo: SBcPD, v. 2, 1983. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/2098/S0100-83581983000200002.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 03 dez. 2019.
  2. LORENZI, Harri. Manual de identificação e controle de plantas daninhas: plantio direto e convencional. 4. ed. Nova Odessa: Plantarum, 2014. 340 p.
  3. MORAIS, Naiade Perotto. Ocorrência, dominância, frequência e densidade de plantas infestantes na implantação de sistemas integrados de produção com diferentes sistematizações de produção agroecológica. PIBIC PUCPR, [s. l.], 2018.
  4. RIZZARDI, M. A.; FLECK, N. G. Métodos de quantificação da cobertura foliar da infestação de plantas daninhas e da cultura da soja. Ciência Rural, v. 34, n. 1, Santa Maria, jan./fev. 2004.
  5. SOUZA, et al.. Efeito alelopático de plantas daninhas e concentrações de capim-braquiária (Brachiaria decumbens) no desenvolvimento inicial de eucalipto (Eucalyptus grandis) 1. Viçosa - MG: SBcPD, v. 21, n. 3, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pd/v21n3/a01v21n3. Acesso em: 05 dez. 2019.
  6. SOUZA, Pablo Georgio. Fomento Florestal em Pequenas Propriedades Rurais no Brasil: Estratégias e Efetividade. 148p. Universidade Federal do Paraná – UFPR. Programa de Pós Graduação em Engenharia Florestal- Doutorado. Tese.
  7. SOUZA, Pablo Georgio. Influência do controle mecânico e do controle químico de plantas infestantes sobre o crescimento de mudas de Eucalyptus L´Hér.,1789. 2008.

Como Citar

Marques, G. G., Souza, P. G. de, & Ribaski, N. G. (2022). Ocorrência, dominância, frequência e densidade de plantas infestantes na implantação de sistemas integrados de produção agroflorestal. Brazilian Journal of Biological Sciences, 9(20), 01–17. https://doi.org/10.21472/bjbs.v09n20-001

Baixar Citação

Palavras-chave

Edição Atual